Select Language

O controlo sobre a eficácia de travagem é seu

Download PDF

Os condutores podem sentir a perda da eficácia de travagem de diferentes formas, sendo que o sobreaquecimento, a fadiga do travão e degradação das pastilhas de travão são apenas algumas delas. "Bloqueio por vapor" e "sensação do pedal esponjoso" são problemas graves relativos à eficácia do travão, por isso vamos oferecer-lhe as nossas recomendações detalhadas.

BLOQUEIO POR VAPOR

Uma das mais perigosas e assustadoras perdas de eficácia de travagem, o bloqueio por vapor está associado ao líquido do travão. A travagem gera um calor considerável e, para contrariar estas elevadas temperaturas sem ferver, o líquido do travão foi concebido com um ponto de ebulição elevado. Mas o líquido do travão é também higroscópico e, como tal, absorve água. Em qualquer sistema de travagem hidráulica, o fluido do travão absorve gradualmente a humidade, o que reduz o ponto de ebulição do mesmo.

Quando esta absorção de humidade atinge um determinado nível – em situações de travagens fortes e contínuas, particularmente com o tempo quente ou com o veículo muito carregado – o calor gerado pode resultar na ebulição do líquido do travão, criando bolhas gasosas. Como o gás é mais compressível do que o líquido, o condutor não terá qualquer pressão no pedal do travão, resultando numa perda total da potência de travagem, conhecida como bloqueio por vapor.

COMO EVITAR O BLOQUEIO POR VAPOR

1. ESCOLHA O LÍQUIDO DO TRAVÃO CORRETO

O líquido do travão que escolher para o sistema hidráulico é essencial. Os fabricantes de veículos recomendam um tipo específico e esta sugestão deve ser sempre respeitada. Obviamente, a qualidade do líquido do travão é essencial. Abaixo seguem-se algumas características que deve procurar.

Um bom líquido deve:

  • ser incompressível para que o pedal tenha firmeza ao travar
  • ter um ponto de ebulição elevado
  • manter o desempenho aquando da absorção de humidade
  • ter uma viscosidade que permaneça dentro dos estritos parâmetros estabelecidos
  • ter o nível de lubricidade correto
  • prevenir a corrosão
  • ter uma elasticidade de volume controlada para evitar o seu encolhimento.

Os líquidos do travão Ferodo têm todos estes importantes atributos e excedem os requisitos legais em toda a gama.

2. TESTAR O LÍQUIDO DO TRAVÃO

Apesar de muitos fabricantes de veículos e travões indicarem as recomendações mínimas, o momento correto para mudar o líquido do travão não deve basear-se na quilometragem ou idade do veículo. A única forma de ter a certeza é testando o líquido do travão, fervendo-o. Seguem-se alguns pontos a considerar:

ferodo-support-techtips-efficiency-lock2-visu-2016

Aparelhos de teste de condutividade ou "tipo-caneta" não utilizam a ebulição do líquido. Estes estimam o teor de água eletronicamente. Em teoria, a condutividade (e/ou capacitância) aumenta o teor de humidade, mas tenha em atenção que estes testes podem potencialmente "reprovar" líquido novo e "aprovar" líquido contaminado. 

ferodo-support-techtips-efficiency-lock2-visu2-2016

A Ferodo desenvolveu um aparelho de teste de líquido do travão (número de peça FFT100A) de elevada qualidade. O aparelho de teste do líquido do travão da Ferodo assegura que pode medir com precisão o líquido do travão dos seus clientes. Nas situações em que os clientes têm de saber com precisão o teor de água, a Ferodo pode determiná-lo utilizando técnicas padrão industriais, como o reconhecido método Karl Fisher para o teor de água. 

3. MUDAR O LÍQUIDO DO TRAVÃO

Deve mudar o líquido do travão quando o ponto de ebulição for muito reduzido. Seguem-se algumas diretrizes sobre como purgar o sistema, para mudar o líquido.

Atenção: Antes de purgar o sistema, efetue um teste de passagem de fugas no cilindro principal, prendendo um manómetro ao tubo da pinça do travão mais próximo.

O sistema deve ser pressurizado a 50 bar durante 45 segundos, durante os quais não devem existir mais de 4 bar de perda de pressão. Qualquer queda de pressão superior indica uma passagem de fugas no cilindro principal, que deve ter em atenção. Deve ser realizada também uma segunda verificação, mas a uma pressão inferior de 10 bar.

PROCESSO DE PURGA– VEÍCULOS COM TRAVÕES DE DISCO TRASEIROS E DIANTEIROS

Purgue sempre os travões numa ordem definida, começando pela pinça do travão mais afastada do cilindro principal (tanto traseira esquerda como traseira direita, consoante seja de condução do lado esquerdo ou do lado direito).

  • Com todos os bujões de purga fechados, instale um tubo de purga na primeira pinça e solte o bujão.
  • Pressione e solte totalmente o pedal do travão várias vezes, de forma lenta mas firme, até que o líquido do travão esteja visivelmente (no tubo de purga) limpo e sem bolhas de ar.
  • Com o pedal totalmente pressionado, aperte o bujão de purga e remova o tubo de purga.
  • Continue na pinça traseira oposta e repita o procedimento.
  • Após concluir o procedimento nas pinças traseiras, certifique-se de que as pinças dianteiras também estão a funcionar corretamente e sem bolhas de ar ao purgar as pinças dianteiras, começando também pela mais afastada do cilindro principal e terminando na que estiver mais próxima do mesmo.
  • Por último, assegure-se de que é alcançada uma pressão de pedal adequada.
ferodo-support-techtips-efficiency-lock2-visu3-2016
PROCESSO DE PURGA – VEÍCULOS COM tambores de travão

Purgue sempre os travões numa ordem definida, começando pela roda mais afastada do cilindro principal (tanto traseira esquerda como traseira direita, consoante seja de condução do lado esquerdo ou do lado direito).

Antes de iniciar o processo de purga, é essencial assegurar que o ajuste manual correto (se ocorrer) é realizado nas maxilas do travão para existir folga no travão de tambor, de acordo com as especificações do fabricante.

  •  Com todos os bujões de purga fechados, instale um tubo de purga no bujão de purga do cilindro da roda mais afastada do cilindro principal e solte o bujão. 
  • Pressione e solte totalmente o pedal do travão várias vezes, de forma lenta mas firme, até que o líquido do travão esteja visivelmente (no tubo de purga) limpo e sem bolhas de ar. > Com o pedal totalmente pressionado, aperte o bujão de purga e remova o tubo de purga. 
  • Continue no cilindro da roda traseira oposta e repita o procedimento. 
  • Após concluir o procedimento nos cilindros das rodas traseiras, certifique-se de que as pinças dianteiras também estão a funcionar corretamente e sem bolhas de ar ao purgar as pinças dianteiras (começando pela mais afastada e terminando na que se encontra mais próxima do cilindro principal). 
  • Por último, assegure-se de que é alcançada uma pressão de pedal adequada.

 
 

B. SENSAÇÃO DE PEDAL ESPONJOSO

Esta sensação acontece quando os travões produzem uma resposta lenta e o pedal parece esponjoso (mais suave do que o normal), exigindo uma força excessiva para desacelerar o veículo.

O QUE CAUSA A SENSAÇÃO DE PEDAL ESPONJOSO E COMO PODE SER RESOLVIDA?

Tubos do travão com defeito podem causar fugas de líquido do travão ou o inchaço do próprio tubo, resultando numa fraca resposta do pedal do travão.

COMO EVITAR TUBOS DO TRAVÃO COM DEFEITO

1. ENVELHECIMENTO: verifique regularmente quanto a desgaste, cortes, deterioração geral e fugas.

2. INSTALAÇÃO: certifique-se de que não estão dobrados nem torcidos, de que é aplicado o binário de aperto correto e de que não há contacto entre os tubos e componentes da suspensão, assim que o veículo for baixado.

3. QUALIDADE: escolha tubos que apresentem elevada resistência, boa flexibilidade, reduzida permeabilidade à humidade e reduzida expansão volumétrica sob pressão. A Ferodo disponibiliza uma gama abrangente de tubos do travão de elevada qualidade, que cresce continuamente para corresponder às necessidades de mercado.

Dicas técnicas relacionadas
carregando...