Select Language

Travões ruidosos e como evitá-los

Compartilhar

Identificar o tipo de ruído

 

O ruído dos travões de um veículo automóvel sempre foi uma preocupação entre os condutores mais exigentes mundialmente. Com o surgimento de uma combustão praticamente silenciosa, dos veículos elétricos e híbridos, os padrões sonoros estão mais altos do que nunca e os sons emitidos pelos sistemas de travagem tornam-se cada vez mais aparentes. Se as pastilhas de travão precisam, ou não, de ser substituídas depende do tipo de som que se ouve.

Se for uma vibração ou trepidação de baixa frequência, geralmente isso tem origem em macrovibrações de um componente do sistema de travões, por exemplo os discos. Um ruído médio com uma frequência de 300 a 5000 Hz significa que, provavelmente, o sistema tem microvibrações no pistão da pinça ou noutra parte nesse canto do veículo. Neste artigo, no entanto, vamos aprofundar o ruído de alta frequência a que os profissionais chamam "chiar".

Travões ruidosos

 

O chiar é um ruído dos travões com uma frequência superior a 5 kHz. Há várias origens possíveis para o chiar dos travões, mas a principal é provavelmente uma vibração molecular dentro dos materiais de fricção durante a aplicação ao disco do travão. Os sistemas modernos de travagem utilizam discos de ferro fundido "apertados" entre duas pastilhas de travões revestidas com material de fricção. Em determinadas condições de montagem nas quais o disco, pastilhas e pinça, são instalados, estes podem começar a vibrar exatamente como uma corda de violino vibra quando acionada pelas cordas do arco. Estas vibrações de alta frequência são perigosas para a condução do dia-a-dia? Não. No entanto, estes ruídos são extremamente aborrecidos e perturbadores para os utilizadores do veículo.

Não é apenas quando se instalam pastilhas novas que se tem uma zona de fricção perfeita entre as pastilhas e o disco. Acamar corretamente as pastilhas e os discos de travão antes da utilização é a melhor forma de evitar sons indesejados durante a travagem. Este processo de "acamamento" dos travões pode ter início logo na oficina, mas também deve ser continuado pelo utilizador final, o próprio condutor. Vamos começar por dar algumas sugestões de como acamar corretamente os travões ao próprio técnico.

file
 
O que fazer na oficina
 

Fazendo diferentes travagens (geralmente cerca de 20 a 30 de 50 a 0 km/h), as pastilhas e os discos começam um processo de "acamamento" antes do cliente vir levantar o veículo. É importante que durante as primeiras 10 travagens, a temperatura não exceda os 200 °C. Entre a décima e a vigésima travagem, os limites de temperatura sobem para 300 °C. E a partir de 20 travagens, o técnico terá de garantir que a temperatura não ultrapassa os 350 °C para acamar corretamente todas as peças do sistema de travagem. Isto é especialmente importante no caso de discos de travão recentemente revestidos.

Porque é importante evitar o sobreaquecimento? Se as pastilhas de travão sobreaquecerem logo desde novas, a sua estrutura pode ser permanentemente alterada devido aos materiais que as constituem. Portanto, enquanto os travões não estiverem totalmente acamados, o condutor deve evitar travagens fortes, pois esse processo intensivo origina altas temperaturas. Isso inclui travagens a alta velocidade, reboque de cargas pesadas ou condução em terreno íngreme.
 

Como explicar ao condutor a necessidade de acamar os travões
 

O técnico deve recomendar que o condutor faça travagens suaves e com frequência durante os primeiros 320 quilómetros, sempre que as pastilhas de travão entrarem em contacto com os discos. Cada travagem aumenta a área da superfície de contacto entre os dois. Isso irá levar diretamente a melhores travagens a longo prazo. Por isso, deve recordar os seus clientes que travem com suavidade e com frequência depois que instalar pastilhas novas.

 

instalação correta das pastilhas
e pinça dos travões

 

A lógica indica que é sempre melhor prevenir que remediar e a forma mais fácil de evitar problemas de ruídos nos travões, como trepidação, chiadeira ou guinchos, é garantir que as pastilha e as pinças de travão estão corretamente acamadas, logo desde o início. Listámos abaixo algumas sugestões úteis que o irão instruir sobre como montar o sistema de travão da melhor forma.

Seguindo estas sugestões, o técnico poderá evitar os ruídos indesejados provocados por vibração, conferindo aos condutores uma viagem suave e confortável. Nota importante: faça sempre um teste de estrada ao veiculo antes de o devolver ao cliente. Desta forma garante que os travões estão a funcionar bem. Assegure-se sempre de que indica ao utilizador os procedimentos corretos para acamar os travões, de forma a garantir a maior eficiência do sistema, conforme explicado acima.

1. Desmonte e limpe todas as peças deslizantes e cavilhas da pinça
2. Use lixa na pinça e nas fixações das pastilhas apenas em caso de corrosão forte ou poluentes. Nota: se a pinça não deslizar facilmente, tal pode provocar desigualdade nas pastilhas ou desgaste irregular no eixo. Isto cria ruídos e/ou trepidação.
3. Lembre-se de que as cavilhas devem estar corretamente lubrificadas para garantir a liberdade de movimentos. Por outro lado, a cavilha não pode prender no corpo da pinça. Verifique o estado dos foles de borracha das cavilhas deslizantes para impedir a entrada de água. Nota: se as cavilhas não estiverem lubrificadas, podem prender. Tal provoca desgaste desigual e ruídos.
4. Inspecione o pistão quanto a movimento livre e retraia totalmente o pistão. Isto é fundamental para evitar danos no calço ou revestimento de borracha.
5. Assegure-se de que as pastilhas encaixam na perfeição nas pinças de travão.
6. Se necessário, retire eventuais rebarbas das arestas das partilhas de travão. Nota: se a pastilha não se mover livremente dentro dos suportes, a pastilha fica encostada ao disco; isso provoca ruídos e também desigualdade no acamamento e/ou desgaste irregular nas pastilhas.
7. Em casos específicos, recomenda-se lubrificar ligeiramente os pontos de contacto entre a placa metálica posterior e as cavilhas deslizantes com massa sintética. Não utilize massa de cobre. Nota: assegure-se de que não deixa a massa entrar em contacto com o material de fricção.
8. Insira os indicadores de desgaste nas pastilhas de travão. Aperte os parafusos de fixação da pinça e substitua os parafusos de rosca por outros novos.
9. Siga as recomendações corretas do binário e sequência de aperto. Com a pinça do travão já montada, carregue no pedal do travão até o curso ser cerca de um terço do curso potencial total. Verifique se os travões funcionam corretamente; isto inclui a retração das pastilhas. Reinstale a roda e verifique se esta gira livremente Se girar, o veículo está preparado para regressar à estrada. 

Compartilhar